20/09/14

Músicas


Entre le ciel et la mer - Instrumental

E AGORA, JOSÉ? Atividades para aulas

( Carlos Drummond de Andrade)
E agora, José?
A festa acabou,
A luz apagou,
O povo sumiu
A noite esfriou,
E agora, José?
E agora, você?
Você que é sem nome,
Que zomba dos outros
Você que faz versos
Que ama, protesta?
II
E agora, José?
Está sem mulher
Está sem discurso,
está sem carinho,
já não pode beber,
já não pode fumar,
cuspir já não pode,
a noite esfriou,
o dia não veio,
o bonde não veio,
o riso não veio,
não veio a utopia
e tudo acabou
e tudo fugiu
e tudo mofou,
e agora, José?
III
E agora, José?
Sua doce palavra,
Seu instante de febre,
Sua gula e jejum,
Sua biblioteca,
Sua lavra de ouro,
Seu terno de vidro,
Sua incoerência,
Seu ódio – e agora?
Com a chave na mão
Quer abrir a porta,
Não existe porta;
Quer morrer no mar,
Mas o mar secou;
Quer ir para Minas,
Minas não há mais.
IV
José, e agora?
Se você gritasse,
Se você gemesse,
Se você tocasse
A valsa vienense,
Se você dormisse
Se você morresse…
Mas você não morre,
Você é duro, José!
Sozinho no escuro
Qual bicho-do-mato
Sem teogonia,
Sem parede nua
Para se encostar
Sem cavalo preto
Que fuja a galope,
Você marcha, José!
José, para onde?


1. Das possibilidades sugeridas pelo poeta para que José mudasse seu destino, a mais extremada está contida no verso:
a. (   ) "se você tocasse a valsa vienense"
b. (   ) "se você morresse"
c. (   ) "José, para onde?"
d. (   ) "quer ir para Minas"


2. Para o poeta, José só não é:
a. (   ) alguém realizado e atuante
b. (   ) um solitário
c. (   ) um joão-ninguém frustrado
d. (   ) alguém sem objetivo e desesperançado

3. José, de acordo com o texto, é um abandonado. Essa ideia está traduzida em que estrofe?
4. "A noite esfriou" é um verso que é repetido. Com isso, o poeta deseja:
a. (   ) deixar bem claro que José foi abandonado porque fazia frio.
b. (   ) traduzir a ideia de que José sentiu muito frio porque anoiteceu.
c. (   ) exprimir que, após o término da festa, a  temperatura caíra.
d. (   ) intensificar o sentimento de abandono, tornando-se um sofrimento quase físico.

5. Qual o verso que exprime concisamente que José é ninguém?
6. Qual é o verso que expressa essencialmente a ideia de um José sem rumo?

7. Assinale a afirmativa falsa a respeito do texto:
a. (   ) José é alguém bem individualizado e a ele o poeta se dirige com afetividade.
b. (   ) O ritmo dos sete primeiros versos da 5a. estrofe é dançante.
c. (   ) "Sem teogonia" significa: sem deuses, sem credo, sem religião.
8. Neste poema, o autor retrata uma situação social. Qual é?
______________________________________________________________
Gabarito
1. B        2. A       3. Na 2a. estrofe      4. D       5. "Você que é sem nome" (1a. estrofe)      6. "José, para onde?" (4a. estrofe)       7. A
8. Resposta pessoal. Mas deve reportar-se à situação de miséria e abandono em que vive grande parte das pessoas de baixa renda no Brasil.

16/09/14

Conversinha mineira - Fernando Sabino

Conversinha Mineira Fernando Sabino




-- É bom mesmo o cafezinho daqui, meu amigo?

-- Sei dizer não senhor: não tomo café.

-- Você é dono do café, não sabe dizer?

-- Ninguém tem reclamado dele não senhor.

-- Então me dá café com leite, pão e manteiga.

-- Café com leite só se for sem leite.

-- Não tem leite?

-- Hoje, não senhor.

-- Por que hoje não?

-- Porque hoje o leiteiro não veio.

-- Ontem ele veio?

-- Ontem não.

-- Quando é que ele vem?

-- Tem dia certo não senhor. Às vezes vem, às vezes não vem. Só que no dia que devia vir em geral não vem.

-- Mas ali fora está escrito "Leiteria"!

-- Ah, isso está, sim senhor.

-- Quando é que tem leite?

-- Quando o leiteiro vem.

-- Tem ali um sujeito comendo coalhada. É feita de quê?

-- O quê: coalhada? Então o senhor não sabe de que é feita a coalhada?

-- Está bem, você ganhou. Me traz um café com leite sem leite. Escuta uma coisa: como é que vai indo a política aqui na sua cidade?


-- Sei dizer não senhor: eu não sou daqui.

-- E há quanto tempo o senhor mora aqui?

-- Vai para uns quinze anos. Isto é, não posso agarantir com certeza: um pouco mais, um pouco menos.

-- Já dava para saber como vai indo a situação, não acha?

-- Ah, o senhor fala da situação? Dizem que vai bem.

-- Para que Partido?

-- Para todos os Partidos, parece.

-- Eu gostaria de saber quem é que vai ganhar a eleição aqui.

-- Eu também gostaria. Uns falam que é um, outros falam que outro. Nessa mexida...

-- E o Prefeito?

-- Que é que tem o Prefeito?

-- Que tal o Prefeito daqui?

-- O Prefeito? É tal e qual eles falam dele.

-- Que é que falam dele?

-- Dele? Uai, esse trem todo que falam de tudo quanto é Prefeito.

-- Você, certamente, já tem candidato.

-- Quem, eu? Estou esperando as plataformas.

-- Mas tem ali o retrato de um candidato dependurado na parede, que história é essa?

-- Aonde, ali? Uê, gente: penduraram isso aí...

Texto extraído do livro "A Mulher do Vizinho", Editora Sabiá - Rio de Janeiro, 1962, pág. 144.

1.) Pela leitura do texto, percebemos que o dono do bar
(A) tem opiniões formadas sobre a política local.
(B) não fornece ao cliente o pedido que foi feito.
(C) responde à maioria das perguntas do cliente.
(D) não emite opinião sobre o que lhe é perguntado.



2. A charge intitulada “Clima de Copa” evidencia
A) uma crítica relacionada ao descaso com as questões sociais referentes à realização
da Copa do Mundo.

(B) o fato do pedinte não se mover para a realização da pintura, provocando a
irritação do pintor.
(C) que o trabalho dos pintores, retratando a bandeira do Brasil, é valorizado e
provoca a irritação do pedinte.
(D) uma crítica em relação ao clima de descaso com a realização da Copa do
Mundo no Brasil.

Goalball
Conheça o Goalball:
O Goalball é uma modalidade criada exclusivamente para atletas cegos e portadores
de visão subnormal. Mesmo que ainda pouco conhecida no Brasil, a
modalidade tem grande participação das pessoas com deficiência visual. O
grande número de atletas permitiu que o Brasil experimentasse uma enorme
evolução neste esporte, ganhando, pela primeira vez, a medalha de prata nas
Paralimpíadas de Londres de 2012.
O Goalball é um esporte de equipe, disputado por dois times de três jogadores
com, no máximo, três atletas reservas. Podem competir na mesma equipe
atletas das classes B1(cego), B2 e B3 (portadores de visão subnormal), segundo
as normas de classificação da Federação Internacional de Esportes para Cegos
(IBSA). O goalball é disputado nas categorias masculina e feminina.
O jogo é disputado num espaço com as mesmas dimensões da quadra de vôlei.
No fundo de cada uma, localizam-se duas balisas, que abrangem todo o comprimento
da quadra. Os três atletas de cada equipe ficam restritos a uma área de 3
metros à frente da baliza que defendem, de modo que não há qualquer contato
com os oponentes. Os atletas arremessam a bola para o outro lado, tendo como
objetivo fazer com que ela ultrapasse o fundo da quadra adversária, entrando assim
nas balizas. Em sua trajetória, a bola necessita obrigatoriamente tocar linhas
predeterminadas, de modo que ela chegue ao gol adversário junto ao chão. Os
arremessos mais fortes podem atravessar a quadra em mais ou menos meio segundo.
A bola de goalball é especialmente desenvolvida para esse esporte. Pesando
1 quilo e 250 gramas, ela possui em seu interior um guizo1 que balança em seu
deslocamento, permitindo que os atletas a localizem através da audição.
O desenvolvimento do jogo é baseado no uso da percepção auditiva para a
detecção da trajetória da bola e requer uma boa capacidade de orientação
espacial do atleta. Todo jogador deve, obrigatoriamente, utilizar venda oftalmológica
durante as partidas, de modo que um atleta com visão parcial não
obtenha qualquer vantagem.
[...]
Guizo - (sm) Globozinho oco de metal que, contendo bolinhas maciças, produz ruído ao ser agitado.

Disponível em: . Acesso em: 20 de janeiro de 2014. (adaptado)
3. A finalidade do texto é
(A) fazer propaganda de uma modalidade esportiva conhecida como goalball.
(B) enfatizar os benefícios de jogar goalball com frequência.
(C) apresentar o jogo goalball e instruir sobre suas regras.
(D) convidar o leitor a jogar goalball mesmo que não tenha deficiência visual.

                                Prof. Jerônimo J Set/14