17/08/2014

Reflexão - Como é o meu problema




Uma filha se queixou a seu pai sobre sua vida e de como as coisas estavam tão difíceis para ela. Ela já não sabia mais o que fazer e queria desistir. Estava cansada de lutar e combater. Parecia assim que um problema estava resolvido, um outro surgia. Seu pai um dia levou-a  até a cozinha, encheu três panelas com água  e colocou-as em fogo alto. Em uma delas ele colocou cenouras, em outra colocou ovos e na última, pó de café. Deixou que tudo fervesse, sem dizer uma palavra. A filha deu um suspiro e esperou impacientemente, imaginando o que ele estaria fazendo. Cerca de vinte minutos depois, ele apagou as bocas de gás. Colocou as cenouras em uma tigela. Então pegou o café  com uma concha e o colocou numa terceira tigela.
- Querida, o que você está vendo?
- Cenouras, ovos e café – ela respondeu.
Ele pediu-lhe  para experimentar as cenouras.
Ela obedeceu e notou que as cenouras estavam macias. Então, ele pediu-lhe que pegasse o ovo e o quebrasse. Ela obedeceu e depois de retirar a casca verificou que os ovos endureceram com a fervura. Finalmente, ele lhe pediu que tomasse um gole de café. Ela sorriu ao provar.
- O que isso significa pai?
Ele explicou que cada um deles havia enfrentado a mesma adversidade, a água fervendo, mas que cada um reagira de maneira diferente.
A cenoura entrara forte, firme e inflexível, mas depois de ter sido submetida à água fervendo, ela amolecera e se tornara frágil.
Os ovos eram frágeis, sua casca fina havia protegido o líquido interior, mas depois de terem sido fervidos na água, seu interior se tornara mais rígido.
O pó de café, contudo, era incomparável. Depois que fora colocado na água fervente, ele havia mudado a água. Ele perguntou à filha:
- Qual deles é você, minha querida? Quando a adversidade bate à sua porta, como você responde?
Você é como a cenoura que parece forte, mas com a dor e a adversidade você murcha, torna-se frágil e perde sua força? Ou será você como o ovo, que começa com um coração maleável, mas que depois de alguma perda ou decepção se torna duro, apesar de a casca parecer a mesma? Ou será que você é como o pó de café, capaz de transformar a adversidade em algo melhor ainda do que ele próprio?
Somos nós os responsáveis pelas nossa próprias decisões. Cabe a nós – somente a nós – decidir se a suposta crise irá ou não afetar nosso rendimento profissional,  nossos relacionamentos pessoais, nossa vida enfim.
Ao ouvir outras pessoas reclamando da situação, ofereça uma palavra positiva. Mas você precisa acreditar nisso.
Confiar que você tem capacidade e tenacidade suficientes para suportar mais este desafio.

Lembre-se: "uma vida não tem importância  se não for capaz de impactar positivamente outras vidas".






Postar um comentário