16/08/2014

A HISTÓRIA DO MACACO


O sujeito estava andado, à noite, por uma estrada muito deserta e afastada, quando, como já se era de esperar, um pneu furou.

Avaliando a situação, mais do que depressa começa a providenciar na mala do carro os itens necessários para a troca do pneu.

Estepe, chave de boca, triângulo (apesar de fazer mais de duas horas que não via outro carro naquela estrada) e o Macaco. Macaco?

Caramba, onde está o raio do Macaco desse carro? Depois de muito procurar – sem sucesso algum – ele tenta ligar para a locadora de carros, mas só consegue descobrir que o celular não pegava naquela região.

Quase desesperado com a sua situação, ele resolve sair caminhando para tentar encontrar alguém que pudesse ajudá-lo.

Após caminhar por uma hora, mais ou menos, ele avista ao longe uma pequena luz, provavelmente de uma casa. “Muito bom, vou até aquela casinha que certamente eles terão um Macaco para me emprestar!” E acelerou o passo, tentado chegar na casinha o mais rápido possível. “Mas será que eles não vão achar estranho alguém pedindo um Macaco nessa hora?”

“E se eles resolverem que não vão emprestar Macaco algum pra mim?”. “Ah, que bobeira a minha, quem não emprestaria um Macaco?” “Assim tão tarde, eles podem nem atender à porta! Droga, não vão me emprestar o Macaco!”

“Como poderiam fazer algo assim, em um momento de tanta necessidade? Como eles poderiam se recusar a ajudar alguém que precisa tanto?”

“Isso é bem típico das pessoas dessa região, nunca querendo ajudar os outros!” “E enquanto eu me ferro, sem poder trocar o pneu, vou ter que ficar esperando sozinho e no escuro, correndo o risco de ser assaltado, ou até morto, só por que alguém não vai querer me emprestar um Macaco!”

“E eles não vão me emprestar, estou certo disso!”

Como ele não parou de andar enquanto resmungava, logo o desafortunado motorista já estava na porta da frente da casinha. Olhando ao redor, ele pode ver um carrinho numa garagem, o que aumentava a certeza de que eles tivessem um Macaco, o qual, certamente não emprestariam. Então ele chegou mais perto e bateu na porta. Ouviu algum movimento lá dentro e em alguns instantes um senhor abre a porta. E o senhor nem teve tempo de terminar de desejar um “boa noite”, que o motorista já soltou, completamente enlouquecido de raiva:

“Quer saber? Você pode pegar esse seu Macaco de merda e enfiar no c!”

E o motorista virou as costas e voltou a andar, ainda xingando e esbravejando com o velho, que ele tinha certeza que não emprestaria o Macaco; apesar de nem ter chegado a pedir algo.

Moral da História:

Nunca mande alguém enfiar o Macaco no c, sem ter, ao menos, tentado pedir o mesmo emprestado, ou, não fique nervoso por antecipação, por algo que nem pode acontecer...

Nota do Editor: Essa história foi contada por um antigo colega de trabalho, que percebeu a sua tendência de ficar nervoso e exacerbado, mesmo antes de algo realmente acontecer.


Postar um comentário