10/06/2013

Querida Ana Ervilha



Hoje cedo vi lágrimas nos seus
alhos. Que couve? Algum pepino?
Me conte, andaram falando
abobrinhas na tua segurelha?
Ou foi aquela velha
escarola da Betty Rabs que disse que você engordou? 
Que
quiabos!
Você não
melancia uma coisa dessas! E, além disso, veja quem fala: você não vê que ela é meio acelga? 
Olhe, tenho um remédio que é
batata nesses casos. 
Diga àquela distinta
cenoura que você é feliz como é e mande-a às favas! 
Não a deixe ganhar essa
bertalha tão fácil, ela merece uma surra de chicória! 
Tomate que você melhore logo!
Quero ver o sorriso voltar às suas
alfaces! 
Se precisar de alguém para ajudá-la a descascar mais algum
abacaxi, conte cominho.
Sua amiga do coração (de
alcachofra), 
Horta Alice 
PAMPLONA, PAMPLONA, Rosane. Histórias de dar água na boca.
São Paulo: Moderna, 2008, p. 34. (ênfases adicionadas)
Postar um comentário