26/08/2013

REDAÇÃO: fuja do clichê (chavão, frase feita, lugar-comum)

Clichê não-verbal

O que evitar no seu texto?
Muitos alunos me procuram querendo saber o que não colocar na redação. Para responder a essa pergunta, é preciso primeiro registrar que um texto apresenta vários aspectos: o linguístico, o gráfico, o semântico, o gramatical...

Aqui, vou dizer o que deve ser evitado no nível puramente linguístico: O clichê.

O que é clichê?
Em redação, chama-se clichê aquele termo que, pelo uso excessivo, já perdeu a sua força expressiva. É um termo gasto, manjado, pobre e sem nenhuma originalidade. Veja abaixo alguns exemplos:
- Abrir com chave de ouro;
- Antes de mais nada;
- Aparar as arestas;
- A todo vapor;
- Caixinha de surpresas;
- Calorosos aplausos;
- Corações e mentes;
- Do Oiapoque ao Chuí;
- Em nível de;
- Erro gritante;
- Importância vital;
- Inserido no contexto;
- Joia da coroa;
- Uma luz no fim do túnel;
- No fundo do poço;
- Os quatro cantos do mundo;
- Pergunta que não quer calar;
- Preencher uma lacuna;
- Rota de colisão;
- Usina de ideias;
- Nós, brasileiros;
- Nós, seres humanos
- Vitória esmagadora;
- Começar com o pé direito;
- Agradar a gregos e troianos;


CLICHÊS GERALMENTE USADOS PARA ABRIR O TEXTO:
- Desde os primórdios da humanidade...;
- Nos dias atuais...;
- Nos dias de hoje...;
- Atualmente...;
- Indubitavelmente...;
- Para começar...;

Na minha opinião;
No meu ponto de vista;

CLICHÊS GERALMENTE USADOS PARA ABRIR CONCLUSÃO:
- Conclui-se que...;
- Concluindo...;
- Com base nos fatos mencionados, conclui-se que...;
- Para concluir...;


OBS.: O clichê também pode se apresentar na forma não-verbal (observe a foto do coração desenhado na areia, que abre esta postagem), seja no cinema, na fotografia, na novela de televisão, na música... Lembre-se. Clichê é tudo aquilo que é manjado, gasto pelo uso, "coisa pronta".
Postar um comentário